3 de agosto de 2009

Dia inesquecível!!!









Pelas fotos dá pra saber onde estive hoje, não é?


Estou em Salvador para mais uma revisão! Meu olho está ótimo e a visão quase 100%.


Glória a Deus!!!!!


Saindo da clínica resolvi parar no Farol. Poxa, toda vez passo aqui e vejo tudo da janela embaçada e suja do ônibus. É como ver na TV. Não tem a mesma graça! Então pensei, não tenho nada para fazer...vou parar! Parei, e ouvi o mar. Meu Deus como eu gosto desse som!!! O som do mar! O mar de Salvador, o mar do Farol da Barra! Sentei numa sorveteria linda e aconchegante e tomei uma bola de sorvete de morango (morango da fruta mesmo). Olhei as pessoas fazendo caminhada e desejei um cenário desse para começar uma atividade física. Que dia lindo fez hoje! E pensei que não preciso ser tão medrosa com a violência...e que sorvete delicioso e isso...e aquilo. Meu castelinho de areia se desfez quando ouvi gritos e pessoas correndo atrás de um homem. Passaram perto de mim!!! Fiquei parada sem saber o que fazer e ouvi um rapaz gritando de dor pois estava apanhando. A tela de plástico da sorveteria me fez ver a cena distorcida. Ainda bem!!! Não me peçam para ser forte, nesse quesito não sou. A coisa terminou, alguém apartou a briga. Voltei a caminhar em direção ao Farol sobressaltada e pensando que eu sou mesmo muito inocente de achar que a violência dá treguas.


E foi então que vi o pôr-do-sol mais incrível de toda a TERRA! E vi policiais, muitos. Acho que para conservar a imagem de terra linda para os muitos turistas! Fiquei mais solta! Andei até a praia, perto das pedras. Um rapaz tocava violão e cantava lá em cima, não ouvi o que ele cantava mas pensei que pudesse ser uma música que falasse de mar, amor, calor. Um casal brincava com uma criança pequena na água. Uma mãe banhava um bebê recém-nascido, aproveitando o sol fraquinho e gostoso do pôr-do-sol. Dobrei a calça jeans e desejei estar com uma roupa mais leve, branca e amarela, tirei o salto e pisei na areia. Pensei: eu sou feliz, nesse momento ninguém é mais feliz que eu! Quando uma onda calma me encontrou tão gelada eu me arrepiei e adorei estar viva. Agradeci à Deus por ter me permitido viver aquele momento, e elogiei a sua criação. Aqui ele caprichou de verdade!!!


Caminhei para trás do Farol onde imaginei estar deserto. Me surpreendi com muitos casais (como nessa foto acima) abracadinhos aos beijos. Famílias de turistas com máquinas modernas e óculos escuros grandes. Um "gringo" sentou ao meu lado com os filhos e ao olhar o pôr-d0-sol exclamou alguma palavra muito estranha e riu. Com certeza era uma coisa boa. Eu estava sentada e não me senti só. Aliás, aquele momento eu precisava curtir sozinha. Mesmo desejando vivê-lo com algumas amigas...(quem serão?). Vi a Ilha de Itaparica ao longe e pensei na vida. E como a minha cirurgia foi um sucesso e agora eu podia ver aquilo tudo.


Foi um dos dias mais felizes da minha vida!

3 comentários:

Paloma Späth disse...

que lindo, kau.

Aline Sant'Ana disse...

Eu sei que você se lembrou de mim...
:)
Felicidade se acha em horinhas de descuido!

Lu Gaúcha disse...

AI,QUE INVEJA!!!!!
COMO EU QUERIA ESTAR AI CONTIGO!
EU ESTOU CURTINDO O MEU FRIOZÃO DO SUL! NÃO AGUENTO MAIS ESTE INVERNO!
BJÃO!

Rumo à casa dos 74 kg!!! Desce, gráfico, desce!!!