9 de dezembro de 2009

Jacada total!!!

Fui à Salvador passar o dia e dar carinho a uma pessoa que eu amo muito e tá com problemas... Fomos ao Iguatemi e sem eu esperar....O MAR!!! (Aline, pode rir, eu deixo, kkkk) Que coisa mais linda de se ver meu Deus!!!! Eu sempre fico boba olhando...e fui criada na praia viu? Mas o mar de Salvador é o MAR DE SALVADOR!


E comi o que meu deu na telha. Ainda não estou como Aline, que se mantém na RA mesmo em dias difíceis.Creio que tenho uma relação de muleta com a comida, sabe? Me apoio nela, principalmente quando estou triste e preocupada. E esses dias eu estou muuuuuuuuuuito.

Olha só o que eu comi...


Um Mc Colosso, de lanche, assim que cheguei em Salvador.
 
Uns chocolates, parecidos com esses, da Perini, de sobremesa.
Dividi todos com  minha irmã.


Um beirute de rosbife, do Nacif... humm
 
Um kibe enorme, no Nacif! Precisava???????
 
Quando cheguei em casa ainda comprei torta de chocolate (cheia de cobertura) e comi com sorvete de creme....Pra ficar tipo petit gateau....
Gente...ficou bom demais!!!

E agora?
Como vou sair dessa comilança ainda estando cheia e atolada de problemas??????

HELP!!!!! 

7 comentários:

paty ex- gordinha disse...

Amiga,já foi,já comeu,agora bola pra frente,tente resolver o problema que te incomoda e não cubra ele com sorvete,rsrsr
Sei que as vezes ussamos a comida como muleta,tbm faço isso,estou em fase de aprendizagem,nós estamos,logo logo não faremos mas isso.
bjinhos e força,amanhã é um novo dia e será muito mas alegre que hj.

Morenas tropicanas disse...

Menina haja apetite viu,vc tão miudinha..hehe,eu amo o top com calda de banana do mc já provou?delicia e esse beirute é sacanagem,beirute q é beirute só no habibi's,bjs

Andrea Aoki disse...

Ai meu pai, se eu comer isso hj em dia tenho um treco rsrs, mas eu era bem assim tb qq problema corria na comida, mas epercebi q além da comida não resolver nada ainda piorava outro né? Eu engordava cada vez mais :(
O mar é mesmo lindooo, relaxante. há muito não o vejo... imagino o de Salvador, beijossss

Sammy Leilane disse...

menina, nem consigo mais comer isso, acho que paro no sorvete de tao enjoada que fico com doces! menina, assim nao dá! sou compusiva assim, mas quando comecei a meditar sobre tudo que fazia comigo e com minha saude é que caiu a ficha! bjus, uma quinta super light!

Pati disse...

Oi amiga, pelo menos foi uma jacada em cheio, uma super jacada eheheh brincadeirinha, bola pra frente querida, tente moderar hoje tá...
Bjos

Gabriela disse...

Oii Amiga,
Depois que a gente come dói a consciência né, mas agora ja foi né!!
Tem que tentar descontar a ansiedade em outra coisa que não seja comida, ou comer alguma coisa menos calórica... esse é o problema né!! Mas força aí, tenho certeza que você vai conseguir!!

Beijinhos

* Aline Virtus * disse...

Mas esse foi um verdadeiro furacão de guloseimas, menina do céu! O que foi isso? \o/\o/ Já sei! Um MARemoto! :P ha ha ha

Já comi bastantão assim, mas o pior é que tudo que você mostrou aí é tãããão gostoso, né? É, é sim. Só não é muito boa a sensação pós-comilança em que ficamos nos perguntando: pra quê isso?

Mas, olha, Karine, só o fato de escrever aqui e se quaestionar já significa que de alguma forma tem pensado no assunto. Isso sim já é um bom começo. Um hora a gente compreende - porque entender a gente até entende... - que podemos canalizar nossas válvulas de escape. Nunca falei muito disso com ninguém, mas eu passei a orar mais vezes para lidar com minhas angústias, sabe? Deixar a comida requer persistência e sempre trocamos as coisas: comida por cigarro; cigarro por refrigerante toda hora; refrigerante por reoer unhas; roer unhas por chicletes...

Eu percebi que tenho a necessidade de sempre ter garrafinhas de água para ir bebendo goles na boca da garrafa. Percebi que comecei a orar mais vezes. Percebi que tenho comido com mais frequência em porções menores. Percebi que ver mudanças significativas nos números depois de várias pequeninas eliminações me fez valorizar mais ainda meu esforço e não quero jogá-lo fora.

Quando digo no *Virtus* que nada nem ninguém vai me permitir mudar meu foco, quero dizer que nem meu sogro com metástase, nem meu padrinho com câncer maligno, nem meu marido desesperadamente compulsivo comendo tudo por medo da perda do pai, nem minha abuela bem doentinha segura por um sopro de vida, nem meu cansaço dessas idas e vindas de SLZ-SSA, nem a falta de ter um salário bom novamente, etc, NADA, NADA, NADA disso, de verdade, vai me impedir de continuar a tocar minha vida. mesmo que eu chore, tenha medo, fique triste, fique angustiada. Essas coisas acontecem sempre nas nossas vidas, mas temos que levar algumas delas no automático e fiz isso com minha RA e AF. Não é fácil. Cada dia é um desafio. Tropeço, caio e levanto.

Demora um pouco, viu, mas você também vai aprender que È POSSÍVEL! Bjs e conte comigo SEMPRE!

Rumo à casa dos 74 kg!!! Desce, gráfico, desce!!!